segunda-feira, 12 de março de 2018

Poesia: Oh meu beija-flor


Oh beija-flor, que vive de flor em flor
No seu coração arde o desejo de um único amor

Mas tem medo, tem pavor
De ser preso pela gaiola do amor

Sabes tu que nela serias guardado
Dentro dela, das tuas feriadas seria curado

Bem sabes oh beija-flor
Que voar sem parada
Acaba com teu humor
Pois apenas te desgasta

Tens medo da solidão
Mas não dás chances a união
Voas em vão, na escuridão
Sem morada, sem perdão
Até que sua última pena caia ao chão

Bate as asas sem pensar
Beija todas as flores a encontrar
Mas em nenhuma encontra seu lar
Pois o medo não o deixa tentar
E por ele estás fadado a falhar
Beijar por beijar, abraçar por abraçar

É uma perca de tempo,
Forças ao vento

O amor que desejas beija-flor
Não encontrarás arrasando os campos
Este sentimento é um primor
Reservado apenas aos santos

Para conquista-lo
Terás de cultiva-lo
Em um único canteiro
Que seja teu por inteiro

É lá onde poderás descansar
E seu coração acalmar

Poderás sentir enfim e assim

A força de um beijo
Movido por amor verdadeiro
Acalentar os seus anseios
Lhe acolhendo aos seios

Perca o medo de viver
E se dê a chance de conhecer
Muito além do que seus olhos podem ver
E verás que não tem porque temer

Algo tão lindo
Tão forte
Capaz de se opor a morte

Terás para onde regressar
Que escolhestes para morar

A sombra e aconchego
Do seu único canteiro

Cheio de carinho
Não estarás sozinho

E serás feliz como os colibris
Pois é o que és meu querido aprendiz

Se ainda assim não voltares para mim
Saberei que encontrastes o teu fim.

By Danielle Rodrigues
24.02.2018